Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 
Medalhas de Honra L'Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência
Sexta edição distingue três jovens que investigam cancro, obesidade, hipertensão e diabetes tipo II

Maria Oliveira, Silvia Vilares Conde e Joana Salgado foram as três jovens cientistas distinguidas a 23 de Novembro último, durante a cerimónia de entrega das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, um programa que completou em 2009 a sua sexta edição.

As três cientistas distinguidas: Maria Oliveira, Sílvia Vilares Conde e Joana Salgado com a Doutora Maria Cavaco Silva
 
Durante a cerimónia, realizada na Academia das Ciências de Lisboa, a doutora Maria Cavaco Silva entregou as “Medalha de Honra” a cada uma das três galardoadas, que receberam igualmente os 20 mil euros de financiamento que as apoiarão no seu trabalho de pesquisa, motivando-as a prosseguir investigações que podem abrir novas pistas à compreensão e tratamento do cancro, obesidade, hipertensão e diabetes tipo II.

O evento reuniu perto de uma centena de convidados, entre os quais vários notáveis da comunidade científica portuguesa - a exemplo de Alexandre Quintanilha e Cecília Arraiano, respectivamente presidente e membro do júri que elegeu as três investigadoras – a já referida doutora Maria Cavaco Silva e Manuel Heitor, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
 
As três cientistas distinguidas com o Secretário
de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Professor Manuel Heitor
  O Presidente do Júri, Professor Alexandre Quintanhilha,
e a Doutora Maria Cavaco Silva após entrega das Medalhas de Honra
às três cientistas
 
Maria Oliveira, de 35 anos, é investigadora no Instituto Nacional de Engenharia Biomédica, da Universidade do Porto, e procura estudar o papel dos macrófagos – células do sistema imune – na invasão das células tumorais e os mecanismos moleculares envolvidos neste processo. Esta invasão é um passo crítico no desenvolvimento do cancro, que sucede quando as células tumorais invadem tecidos adjacentes, instalando-se noutros órgãos e originando as metástases. Consciente de que a maioria das mortes por cancro tem origem nestes tumores em órgãos secundários, Maria espera que estes conhecimentos permitam desenvolver terapias mais eficientes no combate à invasão tumoral.
 
Silvia Vilares Conde, de 32 anos, é investigadora na Faculdade de Ciências Médicas, da Universidade Nova de Lisboa, e a sua investigação visa avaliar o papel do corpo carotídeo no desenvolvimento da hipertensão e da diabetes tipo II, um conhecimento que futuramente poderá contribuir para novas terapêuticas destinadas a prevenir ou reverter duas das mais frequentes doenças da actualidade. Silvia estudará se este pequeno órgão localizado na bifurcação das artérias carótidas poderá ser um sensor de insulina que, perante elevadas quantidades desta hormona, conduz à hipertensão arterial e à diabetes tipo II.
 
Joana Salgado, de 28 anos, é investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Molecular, da Universidade de Coimbra, e pretende aprofundar o conhecimento sobre a fisiologia do tecido adiposo, clarificando o papel dos adipócitos – células que acumulam gordura – cujo aumento, em número e tamanho, está na origem da obesidade, doença que afecta milhões de pessoas e que acarreta outros problemas, como a diabetes, a hipertensão ou a infertilidade. Com este conhecimento, Joana espera contribuir para o desenvolvimento de alvos terapêuticos mais eficazes para travar a doença no estádio inicial e impedir o seu aumento.
 
 
  © L'ORÉAL PORTUGAL, 2007